A+ A-

Seja parceiro do seu tratamento!

10 itens que ajudarão a promover o êxito do seu tratamento:

1. Evite ouvir conselhos desanimadores de pessoas que não vão cuidar do seu problema ou se responsabilizar pela sua melhora.

Ouça e siga a orientação dos seus terapeutas. Esses foram muito bem preparados para isso.

É absolutamente arriscado confiar no diagnóstico ou nos tratamentos da internet. De fonte nem sempre confiável, visam quase sempre a venda de produtos.

2. Siga corretamente a prescrição quanto às doses, intervalos entre as doses, horários de uso da medicação, se perto ou longe da alimentação e a duração total do tratamento.

NÃO interrompa a medicação só porque alguns sintomas reduziram.

3. Mantenha todos os medicamentos em suas caixas ou embalagens de origem - é onde se encontram a data de validade, o nome completo do medicamento, a substância química da qual ele é feito. Além disso, são apropriadas para protegê-los da luz, da temperatura e da umidade do ambiente.

4. Não selecione no escuro os medicamentos que vai ingerir. Certifique-se cuidadosamente de que você está usando a medicação que foi realmente prescrita para você.

Retire a medicação da embalagem o mais próximo possível da hora do uso (ou guarde em separador próprio para esse fim) para evitar a hidratação ou alteração dos medicamentos quando em contato com a luz ou umidade do ar.

5. Tome a medicação oral (comprimidos, cápsulas, drágeas) com um copo cheio de água natural: é o líquido correto para esse fim. Muitas medicações são incompatíveis até com a água mineral, especialmente as gasosas.

6. A bebida alcoólica prejudica [e muito] o efeito da maior parte das medicações.

7. Quando for a um médico, leve por escrito a relação completa dos medicamentos em uso, a dose diária de cada um e os efeitos no seu organismo. Se isso não for possível, leve uma sacola com os medicamentos usados em suas embalagens originais.

Inclua todos os medicamentos (com ou sem receita), as vitaminas e os suplementos de origem vegetal, chás, colírios, gotas nasais, anti-inflamatórios, analgésicos. Enfim, TUDO o que você utiliza para reduzir algum sintoma.

ATENÇÃO: levar os mesmos dados acima sobre os medicamentos que já foram usados anteriormente e a razão de eles terem sido suspensos.

Leve também seus exames laboratoriais recentes. A avaliação que o profissional poderá fazer do seu problema será mais completa e eficiente.

Faça perguntas sobre os novos remédios prescritos. Fale de suas alergias, especialmente relativas a outras medicações anteriormente usadas.

8. Reações adversas a um medicamento [ou efeitos secundários] são respostas nocivas a um fármaco, não intencionais, que podem ocorrer nas doses usuais para profilaxia (prevenção de doenças), terapêutica (tratamento) ou para modificação de alguma função fisiológica. Não há como preveni-las, mas seu médico ou dentista estará apto a lhe fazer a orientação correta para minimizá-las.

9. Se houver receio de não se lembrar de todas as instruções que seu terapeuta lhe dará a respeito do seu tratamento, leve uma pessoa da sua confiança para acompanhar sua consulta. O ideal é que seu terapeuta lhe dê as instruções por escrito.

10. Não permita que haja troca do medicamento na farmácia.
Se essa possibilidade lhe for oferecida, certifique-se antes com o seu terapeuta se não haverá prejuízos ao seu tratamento.

Essa recomendação é importante em relação a todos os medicamentos, incluindo os medicamentos que atuam no sistema nervoso, pela precisão de ações e de efeitos que se espera deles no tratamento dos sintomas emocionais.

Participar do seu tratamento é fundamental para o que todos queremos: a recuperação da sua saúde.

Elimar Jacob Salzer Rodrigues
Médica - Psiquiatra
Especialização e Mestrado pela UFRJ
Autora do livro Transtornos Emocionais (2012)

 
 
Copyright © 2008 Unimed Juiz de Fora. Todos os direitos reservados.
Av. Rio Branco 2540 - Centro | Juiz de Fora - MG | 2ª a 6ª feira, das 8h às 18h | SAC 24h: 0800 030 11 66
Desenvolvido por logo da Handcom